Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Marina Dupim

A nova geração de eletricistas

​​Por Marcelo Puertas, gerente de obras da AES Eletropaulo​

O dia do eletricista, 17 de outubro, é um momento em que eu recordo a minha carreira. Na verdade, começou lá atrás com meu pai, que trabalhou no setor elétrico por 33 anos. Desde àquela época, já havia uma parceria com o SENAI, que oferece até hoje formação para os filhos de funcionários da distribuidora. Então, em 1988, aos quatorze anos, comecei o curso. Saí de lá aos 16 anos como estagiário da companhia e estou aqui até hoje.

Este foi apenas o primeiro passo para o que se tornaria uma carreira de 30 anos, passando por diversas áreas e acumulando vivências que, até hoje, agregam na minha tomada de decisão de negócio.

O setor elétrico, especificamente o brasileiro, é muito complexo. E as empresas, independentemente do segmento, precisam dar oportunidades para que seus funcionários cresçam. Por isso, o eletricista deve sempre se reciclar, para acompanhar as mudanças rápidas da nossa área de atuação e evoluir na profissão.

Sem dúvida, as novas tecnologias vieram para agregar o trabalho realizado na rua e é, sem questionamentos, uma oportunidade de desenvolvimento para os eletricistas. Na minha época, usávamos mais o “braço”. Hoje, a estratégia de atuação é que faz a diferença. A rede elétrica está mais automatizada e, junto com as chamadas smartgrids, reforça o novo perfil do eletricista. É preciso que esse profissional esteja antenado em como funcionam esses novos dispositivos, ou seja, mais do que entender do sistema elétrico, esse novo profissional precisa lidar com diferentes tipos de aparelhos e de comunicação na rede elétrica.

Todas essas mudanças só tendem a valorizar o profissional. Cada vez mais, ele ficará especializado e terá ainda mais valor dentro da companhia. Como consequência, aumentarão as oportunidades na própria empresa e no mercado de trabalho.

Mas nada adianta se nós, eletricistas, não tivermos paixão. Tudo acontece muito rápido, todos os dias. Para quem gosta desse tipo de desafio, o setor elétrico é o lugar certo. É preciso vir preparado e sempre se capacitar, estar atualizado com as evoluções que acontecem e, claro, encarar com seriedade uma profissão que pode te dar muito retorno.

 

E uma outra dica que deixo para os eletricistas: unam à essas novas formas de pensar e trabalhar com as experiencias de pessoas que estão há mais tempo no setor. Trabalhem com responsabilidade e segurança, pois é uma profissão de risco e requer atenção. E lembrem-se: a mistura de passado e presente nos ajuda a estarmos preparados para um futuro que vem cheio de desafios!