Plínio José Varoni Honório da Silva

AES Tietê repovoou 160 mil alevinos em janeiro

Peixes das espécies Pacu Guaçu e Piracanjuba foram soltos nos reservatórios da companhia

A AES Tietê realizou no mês de janeiro a soltura de mais de 160 mil alevinos, em uma ação do Programa de Manejo Pesqueiro, que promove o repovoamento dos rios com alevinos de espécies de peixes ameaçadas de extinção. No Rio Grande, trecho pertencente ao reservatório da usina de Água Vermelha, foram soltos 80 mil peixes. Já no reservatório da usina de Barra Bonita, foram repovoados mais 80 mil peixes durante evento que ocorreu às margens do rio Piracicaba, no bairro Tanquã, em São Pedro, com a presença de ambientalistas. Os alevinos são das espécies Pacu Guaçu e Piracanjuba.

Para o biólogo da AES Tietê, Silvio Carlos Alves dos Santos, as atividades são muito importantes para a reprodução da fauna aquática. “A AES Tietê se preocupa em proteger e conservar as espécies e por isso promove o repovoamento de peixes anualmente em seus reservatórios", comenta Silvio.

O Programa de Manejo Pesqueiro da AES Tietê promove o repovoamento de 2,5 milhões de alevinos ao longo do ano. A iniciativa consiste na reprodução das espécies de peixes que foram impactadas pela construção das barragens hidrelétricas, realizada nas estações de Hidrobiologia e Aquicultura, das usinas de Barra Bonita e Promissão. Lá, são cultivados peixes do tipo Curimbatá, Dourado, Pacu-Guaçu, Piapara, Piracanjuba e Tabarana. Depois, os alevinos são soltos de forma a contribuir para o equilíbrio da população de peixes nos rios Tietê, Pardo, Piracicaba, Grande e Mogi Guaçu.​​