Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Guilherme Revitto

Companhia aprimora tecnologia de monitoramento

Empresa adquiriu drone e sensor de alta precisão para acompanhar projetos de restauração ecológica

​Com foco em inovação e modernização de processos, um dos principais direcionadores da companhia, a AES Tietê adquiriu, recentemente, um novo drone para o apoio no monitoramento remoto dos seus projetos ambientais em desenvolvimento. Trata-se de uma iniciativa pioneira quando o assunto é restauração rcológica.

O drone vem equipado com um sensor multiespectral Sequóia Micassense, de alta precisão, para acompanhar o novo Sistema de Monitoramento de Restauração Ecológica, software que está sendo desenvolvido pela área técnica de meio ambiente da AES Tietê. Os sensores têm a responsabilidade de capturar dados relevantes durante os voos, para posterior análise técnica, garantindo um monitoramento eficiente de todo o trabalho de restauração ecológica que a empresa realiza em sua área de concessão.

A aposta da AES Tietê é a de que, já no início de 2018, com esse acréscimo de alta tecnologia e confiabilidade ao dia a dia de sua área de meio ambiente, as informações coletadas possam gerar gráficos com informações sobre a evolução do programa de reflorestamento da companhia, que engloba os biomas de Mata Atlântica e Cerrado.

Futuramente, quando essas análises mais eficientes já estiverem integradas ao novo Sistema de Monitoramento de Restauração Ecológica, o software será capaz de reconhecer e contabilizar, pelas imagens captadas pelo drone, o fator de diversidade de espécies do local, bem como a cobertura das copas e porcentagem de solo exposto ou gramíneas.

A equipe de meio ambiente da empresa passou por um treinamento especializado para a operação desses equipamentos, o que incluiu o aprendizado sobre a condução do drone, uso dos sensores e a legislação vigente para seu manuseio em campo.

Desde 2000, a AES Tietê já reflorestou mais de 3.000 hectares por meio de diversas iniciativas. O próximo desafio da companhia é reflorestar mais 3.000 hectares, até 2029.