Guilherme Revitto

Entrega das plantas solares impulsiona crescimento

Ano de 2018 consolida a expansão da companhia por meio de aquisições

​Este ano marca a continuidade do plano de crescimento da AES Tietê. O avanço vem impulsionado, principalmente, pela construção dos três projetos solares adquiridos pela companhia ao longo de 2017 que contribuirão para a diversificação do portfólio da empresa.  A evolução, que representa a construção de uma nova AES Tietê Energia, vem consolidada por meio de um consistente plano de aquisição de ativos em operação ou em fase de desenvolvimento, mas que começam a operar no curto prazo, contribuindo para os resultados da companhia.

A usina solar de Guaimbê está praticamente concluída e o complexo já contribuirá com os resultados a partir de julho deste ano.

A obra do Complexo Solar Boa Hora foi iniciada e deve entrar em operação em novembro/18. A AES Tietê Energia aproveitará a sinergia de proximidade entre as plantas solares para a construção de AGV Solar, com conclusão prevista para meados de 2019, garantindo a antecipação de sua operação e a venda de energia no mercado livre antes da entrada do contrato regulado. Ambas serão instaladas próximo à Usina Hidrelétrica de Água Vermelha.
Em relação ao Complexo Eólico Alto Sertão II, adquirido em agosto de 2017, os parques seguem em plena operação, contribuindo para os resultados da companhia.

De acordo com a estratégia de crescimento e diversificação de portfólio, a AES Tietê Energia tem como objetivo, até 2020, ter 50% de seu EBITDA composto por fontes de energia não hidráulicas, com contratos de compra e venda de longo prazo. Os quatro novos projetos adquiridos adicionam 686 MW de capacidade instalada ao portfólio da companhia. Desse montante, 386 MW são provenientes de fonte eólica e já contribuíram para o EBITDA da companhia em 2017, 225 MW são provenientes de fonte solar e entrarão em operação em 2018 e, além disso, outros 75 MW, também de energia solar, entram em 2019.