Guilherme Revitto

Gestão comercial contribui para resultados no ano

Utilização do MCSD rende complemento de receita de R$ 47 milhões em 2018

​No 1T18, a AES Tietê Energia apresentou aumento significativo no nível de contratação de médio prazo de seu portfólio. O destaque é o crescimento de 5% na energia contratada para o ano de 2021, passando de 31% para 36%, com elevação do preço médio do portfólio.

Para ter uma melhor gestão do risco hidrológico e melhores preços de contratos no ambiente livre, em 2018, cerca de 52% da energia assegurada nos contratos de leilões regulados de energia nova do Complexo Eólico Alto Sertão II (54,3 MWm) foi descontratada no Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits (MCSD). Com preço cerca de 60% superior ao original regulado, a revenda dessa energia no Mercado Livre gera um incremento de receita de aproximadamente R$ 47 milhões em 2018.

Além disso, a AES Tietê Energia adotou uma nova estratégia de sazonalização de sua garantia física, buscando a otimizar a sua margem comercial ao longo do ano frente ao risco hidrológico. Parte do montante de energia, alocado anteriormente no primeiro trimestre, será direcionado para o período posterior à estação chuvosa, em função da esperada elevação dos preços no mercado spot entre os períodos.